Nossas Historias - Um Novo Horizonte

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Estava eu sem fazer nada, qdo vi a sua postagem no grupo de blogueiros( eu não tenho um blog, mas adoro visitar blogs) e resolvi vir dar uma conferida no seu blog. Gostei bastante do conteúdo e do espaço, então depois de um tempão tomando coragem, resolvi enviar minha historia.

Meu nome é Marcelo, hoje tenho 35 anos e moro sozinho, ou melhor com meu amado cachorro Bob. Ha um tempo vivo no Rio de Janeiro, e trabalho no ramo de turismo. Minha história se resume ao fato de eu ser homossexual, e de como minha família e antigos amigos me excluíram do convívio deles.

Eu sempre fui normal, qro dizer, nunca tive trejeitos, ou qualquer manifestação efeminada. Logo foi um espanto para todos qdo me assumi gay. Até pra mim foi! Rsrs...
O fato é que ao invés de me apoiar ou pelo menos respeitar meu direito de ser quem eu sou, minha família simplesmente montou um circo, e encarou minha homossexualidade como o fim dos tempos. E quando digo, todos, foram todos mesmo, todos eles viraram as costas para mim, tinham vergonha, se importavam mais com o que os vizinhos iriam dizer deles, do que tentar entender que homossexualidade não é doença e muito menos um crime.

Resumindo, sai de casa aos 16 anos e fui acolhido por minha madrinha, a quem devo muito. Assim que completei 18 anos fui morar sozinho. Passei por muitos sacrifícios, pois sempre que as pessoas descobriam que eu era gay, ou se afastavam ou faziam algo para me prejudicar. Era incrível como existiam pessoas falsas e hipócritas ao meu redor naquela época! De qualquer forma, felizmente conquistei bons amigos e fui galgando meu espaço na sociedade.

Então, comecei uma faculdade, me formei, aos poucos fui crescendo no trabalho, e hoje felizmente, minha homossexualidade não é um "problema". Ainda encontro pessoas preconceituosas? Ah claro, sempre, porque como você escreveu em uma das suas postagens, as pessoas sempre vão ter algum tipo de preconceito, até eu tenho, vergonha! Rsrs...

E quanto a minha família, tenho contato somente com minha irmã, que é mais nova que eu, e naquele tempo não pôde fazer nada por mim. Sempre nos falamos por telefone ou por e-mail, e uma vez por ano ela vem me visitar com o esposo e filhos. Infelizmente meus pais continuam me crucificando, então nosso contato se resume a breves telefonemas e ajuda financeira, pois pra isso ser gay não interfere, se é que você me entende. Enfim, fazer o quê?Foi essa família que Deus me deu, quem sabe um dia eu consiga ter minha própria família?

É isso, eu sei que resumi muito, mas prefiro ser breve a fazer uma novela mexicana no seu blog. Hehe. O que quero mesmo é poder compartilhar minha historia, e dizer as pessoas, que lutem e corram atras do seus objetivos, não desistam e nem se deixem vencer por pessoas que queiram ou possam te prejudicar, mesmo que essas pessoas sejam sua própria família. Seja quem você é, e sonhe alto, porque ninguém tem o direito de impor o que a gente deve fazer ou ser.


Um grande beijo e valeu pelo espaço. Virei sempre aqui! :)

Acesse aqui a ultima historia.

Comentários
1 Comentários

1 comentários:

Camila disse...

Nossa Marcelo que familia mais preconceituosa e desculpe em dizer, mas interesseiros, quer dizer que vc nao serve pra ser filho, mas serve para dar dinheiro? Aff, vc é uma pessoa mto boa viu! Parabéns!

Já curtiu?

Popular Posts

Pensamentos


"Seja feliz com o que você já tem. O resto se consegue com o tempo!"

Mariana Lüdi

"A pedra que no papel nem serve para desenhar uma reta, dentro d'água faz círculos perfeitos!"

Heráclito

"Só ha duas maneiras de viver a vida; a primeira é vivê-la como se os milagres não existissem. A segunda é vivê-la como se tudo fosse um milagre."

Albert Einstein

"Pois nada que valha a pena provar pode ser provado, nem tampouco refutado; portanto, sê sábio. Adere sempre ao lado mais ensolarado da duvida!"

Lord Tenysson


Amigos Leitores

 
"O mundo de Mari" © 2012 | Designed by Bubble Shooter, in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions