Conheça a autora

terça-feira, 30 de abril de 2013

O Inicio

A minha historia começa em 1985, ano em que nasci, e que não foi uma década muito boa para o Brasil! Rs. Quando eu tinha 6 anos de idade tive minha primeira paixão, a Ginástica Artística. Foi assistindo as Olimpíadas de 92 que me encantei com o esporte e passei a praticá – lo desde então. Aos 12 anos, comecei a ter aulas de desenho, e fazia catecismo na igreja católica. Nesse ano também descobri o que é a morte, pois foi quando meu pai faleceu. E por causa disso, parei de freqüentar as aulas. Uma pena, pois estava indo muito bem!
Então aos 13 anos comecei a fazer curso de teatro e a aprender a tocar violão. Foi então que tomei amor pela arte e pelo Rock. Foram muitas idas e vindas, mas sempre que eu podia estava lá eu participando de um grupo de teatro. Em todo esse período eu também participei da Fanfarra Municipal de minha cidade, e foi através dela que conheci muitas cidades de São Paulo, do Rio de Janeiro, Paraná e Minas Gerais. Foram momentos muito bons!
Sempre fui uma pessoa muito estudiosa, e sempre gostei de ler e escrever. No ano que fiz 15 anos, me formei no Ensino Fundamental e fiz Crisma. Foi um ano especial, mas também difícil, 



Adolescência

Bom, nesse período foi onde a historia de ser modelo começou. (risos).
Para quem visitou meu perfil, deve ter visto que sou alta e magra. Quando era adolescente era ainda mais magrinha, o que era um saco, porque eu queria ser baixinha e gostosa! hahaha... Mas de tanto as pessoas insistirem que eu deveria ser modelo, minha mãe me levou em uma agencia. La no fundo eu não sonhava em ser modelo, queria estudar, fazer faculdade, ser veterinária!

Então aos 19 anos eu acabei desistindo dessa idéia e fiz uma tatuagem. Sempre quis ter uma, porém em geral, modelos não podem ser tatuadas. Então já formada no Ensino Médio, a luta era para passar no vestibular das Universidades Publicas.

Adultescência

Como uma ex grande amiga costuma se referir, entre os 19 – 22, eu já deveria ser adulta, mas ainda me sentia uma adolescente. Hehe. Nesse período, trabalhei em alguns lugares, a maioria ruim. Mas acabei aprendendo e fazendo amizades.

A melhor época foi quando estava no Cursinho Pré – Vestibular. Desenvolvi muito meus conhecimentos, e a vontade de ser escritora e fazer faculdade aumentou ainda mais. Tive algumas dificuldades também nesse período.

Finalmente no meio de 2005 passei no vestibular para o Centro Federal de SP, antigo CEFET, mas não era o curso que eu sonhava. Foi uma maneira de ter uma qualificação e me equilibrar financeiramente. Infelizmente tive que parar o curso, e dar um tempo nos estudos.


Atual

Bom,  em 2009 iniciei outra faculdade, no IFSP antigo CEFET, e descobri mais uma paixão, o Turismo. Foi nesse ano que comecei a ser mais independente e a fazer escolhas mais difíceis em minha vida. Uma delas foi trancar a faculdade e vir para Europa. 

Então em 2010 me casei e hoje não vivo mais no Brasil. Acabei desistindo da faculdade, o que não foi nada fácil. Hoje escrevo, estudo o idioma local, trabalho em um restaurante e tenho um site de dicas de viagens Reisen Tour.

O Mundo de Mari foi construído no intuito de estar sempre próxima as minhas raízes e compartilhar com vocês um pouco do meu mundo e minimizar as dificuldades de ser estrangeira. Além de poder exercer o meu lado artístico e político.

Espero ter conseguido passar um pouco de minha vida mesmo tendo resumido muito! Acredito que através de minhas postagens vocês possam me conhecer mais.

Bem – vindos mais uma vez!

OBS: Mais fotos no meu Instagram @missluedi ou no facebook.


Salve os animais!

quarta-feira, 24 de abril de 2013

video
Desde muito pequena tenho contato com animais, tínhamos uma gatinha que se chamava Chiquita, e eu quase morri de chorar quando minha mãe a levou para uma chácara e a deixou la. Depois dela, tive muitos outros bichinhos, gatos, coelhos e cachorros. Até uma borboleta eu tentei salvar uma vez! :)
Acontece que naquela época eu não tinha noção de como os animais eram importantes para o mundo e para o planeta, e mais, não tinha noção que um casaco de pele era realmente feito de pele e que uma bolsa de couro era feita de couro. Era criança, ou melhor inocente, e não tinha ideia das barbaridades que ocorriam no mundo!
Já algum tempo me tornei adulta e consciente das coisas que se passam no mundo, sempre amei os animais e os respeitei, e sempre fui a favor dos movimentos em prol da causa, porém não tinha idéia da tamanha maldade que existia nas mentes das pessoas que lucram ou se divertem maltratando os mesmos.

Foi então que assisti ao vídeo acima e tive um choque, fiquei horrorizada e mal conseguia ver as cenas, eu que estou acostumada a assistir filmes de terror, nunca senti tanta angustia em minha vida quanto ao ver tamanha atrocidade. Até hoje não consegui assistir de novo, e nem seria preciso, pois ficou gravado na minha mente. Me senti revoltada, triste e envergonhada por fazer parte dessa raça que é capaz de ações despudoradas apenas por dinheiro ou por prazer! A cada dia, milhares de animais por todo o planeta são sacrificados. Seja por proprietários de grifes famosas, seja pelas mãos de vândalos que não tem o minimo de respeito pela vida ou seja pelo descaso dos governos quanto a eles. No Brasil, é comum a pratica do abandono de animais domésticos, e pior é comum ver pelas cidades cachorros e gatos em condições lastimáveis de aparência e saúde.

Nada justifica o uso de pele animal para fazer roupas, já que hoje existem peles sintéticas e centenas de técnicas para se fazerem tecidos, assim como não se justifica o consumismo de carne se nossa dieta pode ser muito mais saudável sem excesso de proteína animal. Vejam bem, não estou dizendo aqui que devemos nos tornar vegetarianos, até porque eu ainda não sou, e mesmo que fosse não teria o direito de exigir isso de ninguém. Mas que ha um exagero no consumo de carne e que esses animais muitas vezes são sacrificados por nada(pois muita carne é jogada fora todos os dias), temos de convir que é um sistema cruel.

Quantos não foram as fotos compartilhadas nas redes sociais de bichinhos sendo recuperados apos terem sido alvo de violência pelas ruas do pais. Ou abandonados por seus donos em ambientes sem nenhuma condição de sobrevivência e ainda presos em correntes para dificultar uma tentativa de fuga? Quantas não foram as vezes que vimos reportagens sobre mal tratos e crimes contra animais? E quantas vezes ainda vamos ter que assistir ao descaso que os animais do sertão brasileiro vivem?
Por mais que vivamos em cidades cada vez mais urbanizadas e que pareça que somos os únicos donos do mundo, atenção, não somos! E não somos superior aos animais no sentido de que podemos fazer o que quisermos com eles ou com o mundo. Tudo tem uma consequência. Chamamos a esses de animais de forma muitas vezes pejorativa e não lembramos que somos nos os seres que matam sua própria espécie o tempo todo e vivemos em guerra pelo poder.
Ninguém é obrigado a ter um animal doméstico, ou a gostar dos animais de um modo geral, mas o respeito a eles deve ser obrigatório, e não apenas por questões sociais, mas por uma questão de equilíbrio. O planeta precisa desse equilíbrio, não é a toa que as catástrofes naturais estão cada vez maiores e que o clima no planeta esta cada vez mais confuso.
Felizmente, alguns avanços ja foram alcançados, mas precisamos nos mobilizar cada vez mais para que essa causa não seja esquecida. Temos que nos unir na construção de um mundo melhor para todos e não somente para as pessoas que o habitam, pois elas não são as únicas a existirem.

Se você apoia os direitos dos animais, segue alguns links interessantes para visitar e compartilhar. Nossos amiguinhos agradecem!

www.animalsmatter.org           www.salveaterra.com.br        www.ressoar.org.br                 

http://defensoresdosanimais.wordpress.com
www.amocachorros.com.br          www.avaaz.org   






Os Rótulos e suas Marcas - Parte 1

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Outro dia estava pensando, porque as pessoas se rotulam e rotulam umas as outras? Por que é tao importante se encaixar nesses rótulos? E por que nos deixamos rotular?
Não sei, talvez para nos encaixar? Ou para nos sentirmos inclusos? Acredito que seja essa a resposta, nos incluir, fazer parte.

Desde do inicio da infância, já somos vitimas das rotulações, e quando nos damos conta disso, já é um pouco tarde para nos livrar delas. E são tantas, desde das mais inocentes, até as mais pesadas. E esta ai o grande problema. Nem todo rotulo é benéfico, é bonito é legal. Muitos deles trazem marcas horríveis e consequências também.

O que hoje é conhecido como Bullying, algum tempo atras era conhecido como brincadeiras entre colegas.Porém algumas dessas "brincadeiras", fizeram muitas pessoas ficarem complexadas e adquirirem alguns transtornos e distúrbios.

Eu mesmo, ainda hoje sou meio "cismada" com meu peso. E mesmo sendo moda e todo mundo querendo emagrecer, eu ainda me encabulo com a minha "magricelice"! (Risos)
Vivo tentando engordar, eu não consigo. Me olho no espelho e sempre acho que estou muito magrinha.

Da mesma forma, que existem milhares de pessoas com a loucura de querer emagrecer. Ou de deixar os cabelos lisos, ou de terem seios maiores, ou de parecerem mais jovens. Graças aos rótulos que a sociedade insistem em nos dar!

E pior, que a gente acaba aceitando e passando adiante!

Por isso, é preciso tomar cuidado com esse tipo de atitude. Porque querendo ou não, as pessoas podem se tornar vitimas dessas rotulações, se tornarem excluídas ou excluírem apenas para serem aceitas.

Tomar cuidado com a direção que damos a certas brincadeiras, certos apelidos, certos rótulos! Ouvir a vida inteira que você é isso ou aquilo, pode causar danos irreversíveis, na auto-estima ou mesmo no caráter de uma pessoa. Marcas difíceis de tirar, de superar.

Eu sei que as vezes acaba sendo inevitável certas rotulações, mas sei também que podemos tentar nos definir menos, nos incluir em grupo, e por fim excluir outro, e com isso discriminar o que é diferente em algum aspecto, mas que em outros é igual.


Pense nisso, e na próxima que você for se referir a alguém com um rotulo, pense se você gostaria de ser definido(a) assim.

Continua...

Homofobia?

domingo, 7 de abril de 2013

Hoje em dia está na moda defender os homossexuais, falar de seus direitos, de suas qualidades, de como são e foram injustiçados pela sociedade, do quanto necessitam de apoio e igualdade. Inúmeras manifestações ocorrem todos os dias, seja nas redes sociais, nas ruas ou em comunidades. O que é algo que me deixa muito contente e satisfeita. Isso significa que avançamos um pouco mais na quebra de tabus. Porém, não entendo a necessidade das pessoas se rotularem tanto, e definir tudo como homofobia.
Qualquer ato contra, uma frase ou uma expressão mal colocada, se torna uma atitude homofóbica. Se você diz que gosta de ser heterossexual, ah você é Homofóbico, mesmo tendo vários amigos ou até parentes gays. As pessoas falam isso como se realmente conhecessem o significado da palavra, como se realmente soubessem do que estão falando e acusando, muitas vezes não sabem!
“A homofobia é a atitude de hostilidade contra os homossexuais, designando o distúrbio psíquico revelado por aqueles que experimentam medo ou ódio irracional diante da homossexualidade. Sinteticamente, é o termo utilizado para identificar o ódio, aversão ou discriminação, tendo em vista que a palavra Fobia vem do grego e significa Medo.”Fonte
Então eu te pergunto, só porque uma pessoa se posiciona contra o casamento ou é contra a adoção de crianças por casais homossexuais, ela é homofófica? Ou porque a mesma diz não querer ter um filho gay ou porque faz ou ri de piadas sobre gays, chama um amigo de viado, ela odeia gays? Talvez não!
Deve se analisar que muitas religiões pregam que a homossexualidade é pecado, algumas de que é uma doença, e até existe por parte da sociedade a idéia de que seja um distúrbio comportamental, ou que ser homossexual é uma escolha. Analisar que pessoas homofóbicas geralmente agridem, discriminam e repudiam de toda forma uma pessoa homossexual.

Eu cresci escutando diversas barbaridades sobre a homossexualidade. Mas sempre procurei refletir sobre o que ouvia e via. Sempre tive amigos ou conhecidos homossexuais, e talvez por isso sempre achei normal. Não entendia exatamente, mas respeitava o que naquela época pensava ser uma escolha.

Não estou aqui defendendo a homofobia, afinal já me posicionei em outra postagem aqui mesmo no blog. O que desejo expor, é que ao invés de postar ou compartilhar qualquer foto ou idéias sobre homofobia, analise antes. Nem tudo é homofobia, ser contrário a algumas idéias, não quer dizer que você tem ódio ou aversão sobre determinado grupo, assunto ou posição. As pessoas ficam pregando a raiva, medindo forças, ao invés de buscar um entendimento.

Se a Joelma falou tantas idiotices, existe duas probabilidades, ou ela é ignorante no assunto homossexualidade, como a maioria das pessoas, ou ela é sim homofófica mesmo. Agora, fazer todo um alarde por isso, eu não entendo. Talvez por ela ser uma pessoa pública? Plausível, já que tem o poder de incentivar a discriminação entre milhares de pessoas. Por outro lado, ficar disseminando essa coisa de homofobia o tempo todo não ajuda em nada. Acaba com a tanto comentada e aclamada liberdade de expressão que todos amam e gostam de enfatizar.

Vamos analisar melhor as frases, entrevistas, a cultura e educação que cada um recebeu. Não vamos esquecer que o Brasil é um país cristão, e como todo país baseado nas crenças cristãs, tem enraizado um monte de preconceito e idéias tardias. Algumas pessoas são preconceituosas e nem se dão conta disso. Acabam falando certas coisas, aparentemente discriminatória, mas apenas se expressaram mal. Se queremos acabar com a Homofobia, paremos de dar toda a atenção e energia para o assunto. 
Por que ao invés de dizermos Homofobia Não, não dizemos Diversidade Sim, ou diga Sim a diversidade? Por que sempre pregar a separação de grupos, a defesa de bandeiras excluídoras?
Vamos pensar no que realmente importa e parar de nos desviar dos nossos reais objetivos, que é tornar a nossa sociedade justa para todos!


Já curtiu?

Popular Posts

Pensamentos


"Seja feliz com o que você já tem. O resto se consegue com o tempo!"

Mariana Lüdi

"A pedra que no papel nem serve para desenhar uma reta, dentro d'água faz círculos perfeitos!"

Heráclito

"Só ha duas maneiras de viver a vida; a primeira é vivê-la como se os milagres não existissem. A segunda é vivê-la como se tudo fosse um milagre."

Albert Einstein

"Pois nada que valha a pena provar pode ser provado, nem tampouco refutado; portanto, sê sábio. Adere sempre ao lado mais ensolarado da duvida!"

Lord Tenysson


Amigos Leitores

 
"O mundo de Mari" © 2012 | Designed by Bubble Shooter, in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions