Os Monólogos da Vagina

sábado, 27 de julho de 2013

Gostaria de iniciar deixando o meu desejo de que algum dia nós mulheres possamos deixar de ser discriminadas e marginalizadas pela sociedade. Que possamos ser vistas antes de mais nada como pessoas, como seres humanos, como mulheres!!

Não é de agora que sofremos com rótulos e perseguições de diversos tipos. Que temos nossa liberdade tomada, que temos que nos comportar como manda a sociedade, o figurino. Que temos que ser desse ou daquele modo para agradar, para estar nos padrões.

Sabe, todo ano milhares de mulheres pelo mundo são vitimas de violência. De todos os tipos. Muitas vezes mulheres que ainda nem chegaram a vida adulta. Isso revolta. Mas falaremos desse assunto mais especificamente em outra postagem.

Hoje quero dedicar essa postagem às mulheres do mundo inteiro, as minhas amigas e familiares. Quero pedir que vocês assistam a esse vídeo, completo. Sem medo, sem vergonha, sem preconceito. Com certeza ira de surpreender. Não importa se você é do sexo masculino ou feminino, o que importa é assisti-li, compreendê-lo e compartilha-lo.

Eu assisti esse vídeo ha algum tempo, e cheguei a recomenda-lo para minhas amigas no FB. Mas muitas delas não assistiram, talvez por timidez ou por falta de interesse. Mas garanto, esse vídeo é muito mais do que algo engraçado ou de cunho sexual. É uma obra memorável dessa maravilhosa mulher que pesquisou e estudou para chegar nesse especial monologo!

Recomendo para pessoas de todas as idades.

Aprecie, e depois me diga se tocou você como tocou a mim!
.

PS: Existe a peça sobre o documentário montada aqui no Brasil. Porém eu não consegui nenhum vídeo com essa versão. Mas ela ainda esta em cartaz rodando pelo país com novas atrizes. Veja aqui a matéria.

Filmes de Vampiros - Parte 1

sexta-feira, 26 de julho de 2013

E aí pessoas, tudo bem? Essa semana nossa lista de filmes será mais curta, mas ao mesmo tempo interessante. Eu amo esse tema, e quero compartilhar com vocês 5 filmes que gostei muito e que indico assistir. Vamos lá?

Entrevista com o Vampiro - Gosto desse filme porque é bem clássico e não tem muitas invenções como os atuais. Sem contar que Brad Pitty e Tom Cruise juntos é um colírio para nossos olhos. Até eu queria ser mordida! Hahaha... Brincadeira!! O filme é mesmo bem interessante e para quem curte historias de vampiro não pode deixar de assistir a esse clássico. Assista aqui.

Circo dos Horrores - O Aprendiz de Vampiro - Tem poucos dias que assisti a esse filme. Gostei muito. É bem diferente, por ter um estilo mais cômico do que os suspenses dos filmes mais clássicos. E o interessante é que pode ser assistido por qualquer pessoa de qualquer idade. No geral, é um filme bem divertido e gostoso de assistir. Recomendo. Assista aqui.

Anjos da Noite - Saga( indicação especial ao 1&3) - Acredito que muita gente já tenha visto esse filme. Mas para quem não viu. Eu indico. Meus favoritos da série são o 1 e 3. Acho que eles tem mais a essência dos primeiros filmes do gênero. Mas no geral, sou muito fã de todos os filmes e estou ansiosa pelo quinto filme. Assista aqui.

Sangue e Chocolate - Esse filme eu assisti ha muito tempo. Muito mesmo. Alias vou aproveitar para revê-lo. Eu gostei bastante da mistura. Suspense, romance e sangue! Hehe... Uma boa pedida para assistir com seu par. Ou para ter a desculpa de assistir com alguém, rs. Assista aqui.

Abraham Lincoln - O caçador de Vampiros - Excelente opção de filme. Simplesmente adorei. Retoma um pouco do clássico e é um filme bem dinâmico. Para mim, um dos melhores do gênero terror/suspense dos últimos anos. Recomendadíssimo! Assista aqui.

Bom, essa é só a primeira parte de uma seleção que fiz. Teremos a segunda parte em breve. Se você quiser fazer alguma sugestão é só deixar nos comentários. E se já assistiu aos filmes não exite em deixar sua opinião a respeito.

Até a próxima postagem!

Nossas Histórias - Superação profissional

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Mais uma historia inspiradora recebida de uma querida leitora. Peço desculpas a ela e a vocês por não ter postado antes. Mas tem sido corrido ultimamente. Vamos a postagem

Oi Mariana, td bem? Quero te dizer q gostei mto do seu blog e finalmente depois de conseguir um tempinho para escrever, pude vir aqui contar a minha história.

Não vou falar exatamente de minha vida pessoal, o foco na realidade é minha vida profissional. 
Tudo começou qdo aos 16 anos o meu pai adoeceu. Ele tinha uma pequena loja de roupas num shopping popular de nossa cidade, minha mãe nessa época ajudava na loja e as vezes qdo o orçamento apertava ia fazer uns "bicos" como diarista. O tempo foi passando e meu pai foi ficando pior, então passei a ajudá-lo na loja. Qdo eu estava com 17 anos meu querido pai faleceu e a vida pareceu desmoronar!

Com a doença e a morte dele, nós ficamos com uma situação financeira muito difícil, gastamos mto com o tratamento e com o enterro. Ao invés de deixar uma herança, meu pobre pai q tanto se esforçou na vida, deixou um monte de dívidas e uma pequena pensão mensal q quase não ajudava no orçamento de 5 pessoas, contando com minha mãe. 
Eu tenho mais 3 irmãs e sou a mais velha, e como irmã mais velha me vi na obrigação de ajudar. E apesar de estar em ano de vestibular( meu sonho era passar para Publicidade e Propaganda em uma universidade publica), eu não tive outra saída a não ser procurar um trabalho. A essas alturas, já tínhamos vendido a loja, e minha mãe trabalhava como empregada doméstica. Como ainda era menor de idade, e a única experiência q tinha era com vendas, fui procurar emprego em lojas de roupas e cosméticos. Dali uma semana consegui emprego em uma loja de roupas e calçados, mas eles só pagavam comissão. Pra conseguir ganhar um salário mínimo, eu tinha que ficar horas trabalhando, e muitas vezes ñ conseguia levantar para ir a escola. Quase desisti, mas como faltavam poucos meses para concluir o ensino médio, eu persisti e consegui terminar. Naquele ano ñ pude prestar vestibular, ñ me sentia preparada nem academicamente e nem psicologicamente.

Depois que completei 18 anos, consegui um emprego de carteira assinada numa loja de um shopping da cidade vizinha. Me senti contente por ter meu primeiro emprego de carteira assinada. La tínhamos salario fixo, mas para ganhar comissão era preciso bater meta. O que era muito difícil já que nem sempre a loja ficava cheia. Eu só consegui bater a meta poucas vezes, e para isso tinha dias que ficava quase 12 horas trabalhando direto. Ou seja, mais uma vez não consegui me inscrever em nenhum vestibular, pois não tinha tempo de estudar. Qdo eu completei um ano nessa loja, tirei férias e comecei a procurar outro trabalho, mas todas as agências de emprego só me chamavam para trabalhar como vendedora, e eu queria pelo menos ganhar melhor ou trabalhar menos. Nessa época minha irma Carla, já estava com 16 anos, e conseguiu através do curso técnico q fazia, um estagio remunerado. Então, eu decidi q qdo voltasse das férias pediria demissão e procuraria emprego fora da área de lojas.

Foi então que minha mãe soube de um emprego como babá, em uma casa vizinha a que ela trabalhava! Nessas alturas eu já estava com 19 anos, e sentia o tempo passar como o vento. Sentia que já era hora de tentar algo diferente. Mas como? Não tinha estudos o suficiente, e não encontrava tempo e nem grana para me qualificar. O jeito era me submeter as chances daquele momento. Então aceitei o trabalho e me mudei para a casa dos meus novos patroes. Trabalhei la por 3 anos, e apesar de gostar muito deles e do trabalho, eu continuava sem poder estudar. Praticamente vivia para eles. Tinha que viajar e tudo(de uma certa forma isso era bom, conheci vários lugares do Brasil e até para o exterior cheguei ir). Mas mesmo ganhando bem, e podendo ajudar muito em casa financeiramente, não estava conseguindo progredir, me sentia cada vez mais longe do meu sonho e dos meus objetivos. Até que em meados de 2000/2001 minha mãe adoeceu, e teve que parar de trabalhar fora. Nessa época minha irmã Carla já tinha se casado, ela se casou super cedo. Com 18 anos, e saiu de casa. Ficaram minha irma Julia e Carina, que ainda eram menores de idade. Julia já trabalhava, mas ganhava pouco. E ainda estudava, assim como a Carina. Elas não podiam ficar o tempo todo em casa com a minha mãe. E eu não podia ficar ausente de minha casa tanto tempo. Daí larguei o emprego de baba, e comecei a trabalhar como diarista. Assim conseguia ganhar um salario razoável e ter tempo para ficar com minha mãe.

Aos 23 anos surgiu uma vaga fixa em um dos lugares que eu trabalhava como diarista, era uma agência de publicidade. A vaga era para recepcionista, e embora eu não tivesse todas as qualificações que estavam exigindo, motivada pelo meu namorado e minha família, eu comentei com a gerente do RH que gostaria de participar do processo seletivo. Eu já trabalhava la a um pouco mais de 6 meses, eles já me conheciam e sabiam da minha vontade de progredir. Foi aí que tive minha grande chance!

Participei do processo e consegui a vaga. Minha alegria foi tamanha. O horário era flexível e o salario supria as necessidades do momento. Pois minhas irmas mais novas estavam trabalhando e minha mãe melhor de saúde começou a fazer doces para fora. Naquele semestre, comecei a fazer cursinho, e no final do ano, prestei vestibular para 4 universidades diferentes. Em 3 prestei para Publicidade e Propaganda e na outra para Marketing. Sendo duas faculdades publicas.  Cheguei a passar para segunda fase nas duas, mas consegui mesmo entrar para marketing. Minha alegria foi tremenda pois apesar de não ser exatamente o curso que queria, já era um começo. Eu estava na faculdade!!

Para resumir, dali em diante fui galgando meu espaço na empresa. E antes de me formar já trabalhava no departamento de marketing como supervisora. Depois de um ano de formada, com o crescimento da empresa fui mais uma vez promovida para coordenadora do setor. E hoje aos 30 anos, sou casada ha dois anos e continuo trabalhando na mesma empresa, buscando uma chance de ser promovida mais uma vez, pois abriu uma oportunidade na gerência do dp. de marketing. E assumindo essa vaga, com certeza poderei ficar segura e assegurar o conforto da minha mãe e da minha futura família que pretendo iniciar em breve.

Tenho muito a agradecer a essa empresa que foi a primeira a acreditar na minha capacidade desde qdo era apenas uma faxineira diarista. E muito a agradecer a minha família e ao meu marido que sempre me deram suporte e motivação pra não desistir dos meus sonhos.

É isso! Agradeço mais uma vez pelo espaço, e espero que minha historia possa inspirar vocês a jamais desistirem de seus sonhos e planos. A vida pode ser dura, mas tudo que a gente almeja e corre atras se torna realidade, basta querer e lutar!

Grande beijo!!!

Joana.

Religião é Fé?

domingo, 14 de julho de 2013

Estava um pouco perdida de como inciar essa postagem. Como escrevê-la sem ofender ninguém. Cheguei a conclusão que talvez isso seja impossível, pois cada um tem seu ponto de vista e sua própria verdade. Então, desde já, peço desculpas se de alguma forma, você se sentir ofendido, a intenção não é essa!

Desde criança somos educados para acreditar em Deus. Para ter fé Nele, e frequentar a Sua casa. Eu fui criada para ser católica, fui batizada e participei de quase todos os sacramentos católicos. E realmente eu acreditava no que ouvia e no que lia. Apos algum tempo, e indo mais a fundo nos estudos sobre religiões, cheguei a conclusão no que já algum tempo pensava, que ter uma religião não significava ter fé.
Foi ai que parei de ir a igreja, e comecei a perceber que para ter fé eu não necessariamente precisava de uma religião..

Muito tempo se passou desde quando parei de frequentar a igreja católica. Mas ainda sinto os efeitos da educação cristã que tive. Em alguns pontos considero algo bom, mas em outros, vejo que alguns preconceitos que ainda tenho, são consequências daquela doutrinação.

Hoje existem muitas religiões, principalmente no Brasil, parece que em cada esquina o mesmo numero de igrejas são equivalentes ao mesmo numero de botecos . E de um modo geral, analisando uma a uma, não são tao diferentes. Todas pregam quase as mesmas coisas, todas no final tem o mesmo objetivo. Manipular seus seguidores.

As igrejas chamam seus frequentadores de fiéis, "nossos fiéis", como se eles fossem fiéis da igreja, e não de Deus. Impõe regras e dogmas, que muitas vezes os próprios pregadores não cumprem. E defendem de tal forma, idéias que pareçam que só uma crença seja a verdadeira, a correta. Sendo que Jesus deixou bem claro, que Ele não esta em paredes ou em bancos e sim em todos os lugares. Nunca disse que esta ou aquela religião seja correta ou a errada. Deixou apenas Sua palavra a ser semeada.


Dai podemos entender porque ha tanta guerra "santa", tantos querendo falar em nome de Deus. Cada um usando como bem lhe convém o que na verdade seria para união do mundo.e não para sua ruína.

"Falar em nome de Deus", é algo que me deixa danada de brava. Me revolta saber e ver, que existem tantos oportunistas, se valendo do conhecimento que muitos não tem, para fazer fortuna as custas da ignorância dos outros.

Afinal, infelizmente ainda temos milhares de pessoas que confundem Religião com Fé. Que acreditam que só indo a um "templo" e cumprindo com suas leis, é que eles poderão ser salvos. E é ai que são manipulados e enganados.

É preciso estudar, conhecer a historia, abrir a mente para novas culturas, para novas reflexões. Nem sempre uma pessoa que frequenta uma religião é uma pessoa de fé. Já vi muitos casos, de pessoas que vão a uma igreja apenas para não serem julgadas por outros ou por acharem que indo em uma igreja garantirão seu lugar no paraíso. Mas praticar os ensinamentos de Cristo que é bom, nada! Pelo contrario, as pessoas que mais cuidam da vida do outro, julgam e discriminam, são as mesmas que vivem dobrando os joelhos, em inúmeros ritos religiosos e se julgam pessoas de fé.

Por isso, queridos leitores, eu proponho que façamos uma auto critica, e analisemos nossa própria conduta perante a fé. Sera que realmente acreditamos em Deus? Sera que realmente frequentamos esta ou aquela religião por cremos no que ela prega?

E mais, paremos de julgar o outro, de discrimina-lo e de desrespeitar a liberdade que o mesmo tem de escolher seu próprio caminho de fé, de seguir ou não determinada crença e até mesmo de não ter nenhuma.
E dessa forma, poderemos conviver melhor com nossos semelhantes e praticar aquilo que chamamos de Fé!

Cada um, com sua própria crença e com sua própria Fé.

Que Deus abençoe todos nós!

Filmes com Cachorros

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Ola pessoal, essa semana preparei uma seleção de 10 filmes que tem como personagens principais ou que tem grande participação nas historias, nossos lindos amigos, os cães. Eu gosto muito de filmes desse gênero, e esses são uns do que mais gostei. Espero que gostem e se tiverem sugestões, podem deixar nos comentários.

A incrível Jornada  - Esse filme é muito fofo e divertido, para assistir é só clicar no nome. Acredito que muitos já assistiram, pois ele passava no "cinema em casa" ou "sessão da tarde", rs, e eu adorava.

Lembranças de outra Vida - Eu amei esse filme, o considero um dos meus favoritos. É uma historia muito bonita e emocionante. Cuidado pra não chorar! RS...


Quase feitos um pro Outro - Esse filme é uma gracinha e conta uma historia muito louca! Imaginem um cão se apaixonar por um golfinho? Pois é, ele se apaixona, mas o enredo não se atem somente a isso, e sim a questão do cuidado aos animais. É uma boa pedida para assistir com a família.

Bethoven - Bethoven o Magnifico. Quem nunca assistiu? Mas eu não poderia deixar de postar esse clássico das sessões da tarde da TV brasileira. Engraçado e uma ótima pedida de filme pra ver com os filhos.

Sempre ao seu lado - Outro que amo muito, e que me fez chorar. Uma linda e emocionante historia real, que é contada na versão norte - americana. Com certeza você também ira se emocionar com esse filme estrelado pelo queridíssimo Richard Gere.


Neve pra cachorro - Em inglês "Snow Dogs", é um filme de comédia que conta a historia de um dentista que mora em Miami e vai parar no Alasca atras do pai. É um filme muito engraçado e bonito, além de ter uma fotografia incrivel. Espero que consigam acessar o link ou se encontrarem outro site que o disponibilize, por favor indicar. :)

101 Dálmatas - Mais um super clássico que gosto muito. Pra quem ainda não conferiu, o filme conta a historias de lindos peludinhos que são ameaçados pela maldosa Cruela, estilista ambiciosa que deseja usar a pele dos bichinhos em suas confecções.

Marley e eu - Tenho que dizer que dos últimos filmes de comédia que assisti, esse foi um dos que mais ri. E também chorei, claro, rs, sei que sou uma manteiga. Mas esse filme é muito bonito e divertido, é uma historia muito interessante e reflexiva, pois o personagem principal vive alguns conflitos pessoais ao mesmo tempo que demonstra um carinho enorme pelo seu fiel amigo e por sua família. Indicadíssimo!!


Rin tin tin - Essa ja é uma historia clássica, que deu origem "As aventuras de Tin Tin". Eu ainda não assisti a essa versão, mas gostei muito da animação e gostava muito do desenho.

Bom, pessoas, espero que tenham gostado dessa seleção e que se divirtam muito assistindo aos filmes.

Para acessar a seleção da semana passada, clique aqui.

Minha vida de estrangeira - Parte 1

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Ola galera, como vão vocês? Bom, a postagem hoje sera um pouco personalizada, já que vou falar de mim, ou melhor da minha experiência pessoal como estrangeira.
Algumas pessoas que já acessam o blog ha algum tempo, sabem que eu não moro no Brasil, e os leitores que me conhecem pessoalmente, sabem como tem sido difícil. Para quem ainda não leu minha biografia, tem a citação da razão porque vim parar aqui. Hehe.

Falando propriamente de minha experiência. Eu ainda me considero em adaptação. Tem épocas que são muito difíceis, eu costumo dizer que a saudade é um fator que não existe adaptação. E é muito complicado ficar longe de quem nós amamos e das coisas que gostamos.

Eu sinto muita falta, da minha família e dos meus amigos. Sinto falta dos lugares que frequentava, das atividades que fazia, da culinária e de falar português. Falta de pequenas coisas que só quem esta fora do pais entende.

Tenho me esforçado muito para me adaptar e aproveitar ao máximo essa experiência. Confesso que as vezes perco a motivação, porque as vezes me sinto meio deslocada. E acho que a saudade também atrapalha um pouco.

De qualquer forma, acredito que na medida que vai se aprendendo o idioma, trabalhando e conhecendo pessoas, esse processo vai melhorando, e tudo fica mais simples.

Baseada em minha experiência e de amigos que vivem ou viveram fora de seu pais, segue algumas dicas e informações importantes.

Viver em outro país não é fácil, existe uma série de pontos quais devem ser estudados. Aqui vai uma lista deles:
- Idioma: é fundamental saber falar e escrever o idioma local, no caso de um intercâmbio a exigência mínima é saber inglês, mas se for viver, aprender o idioma é super importante para conseguir um trabalho e uma integração melhor.
- Visto: tanto para viver quanto para estudar, são necessários documentos que comprovem sua legalidade no país que está. Cada nação vai ter sua própria regra quanto a isso. No geral, os vistos mais comuns são para estudo, trabalho e união familiar.
- Emprego: se o seu caso não for intercâmbio ou transferência de empresa, para trabalhar você vai precisar dos dois itens acima, e também de qualificação se visa algo mais do que trabalhar com limpeza ou construção, entre outros empregos comuns oferecidos aos estrangeiros. E essa qualificação muitas vezes deve vir desse lugar que você está, porque em muitos países dependendo da profissão os diplomas de instituições brasileiras não são válidos.
- Moradia: muitas vezes quando se deseja sair do país, as pessoas dão importância somente para as vantagens e não fazem o estudo necessário para entender se isso é o melhor a fazer ou não. Assim como se deve pensar nos detalhes de uma vida a dois ou conquistar a independência morando sozinho (a), fazer um intercâmbio ou mudar para um outro pais requer um planejamento.

Bom, vou parando por aqui, pois não quero fazer uma postagem muito longa. Mas logo teremos a parte dois, e ai falarei com mais detalhes e também colocarei umas fotos para vocês.

Espero que tenha sido instrutiva, e se você também for um "estrangeiro" e quiser contar a sua experiencia para nós, acesse o menu "Contato" e saiba como.

Gostou da postagem? Então compartilhe com seus amigos, e não deixe de se inscrever no blog e nas redes sociais!

Até a próxima!!

Literatura Brasileira - Parte 1

Nessa semana estou indicando alguns livros da literatura brasileira que são muito importantes. Para quem já prestou vestibular ou pretende prestar, sabe que todo o ano nos principais vestibulares do país, a leitura desses livros são obrigatórias.
Eu particularmente não li somente por esse motivo, mas porque é uma leitura muito rica. Eu indico para qualquer publico que aprecie um bom livro.

Como são muitos livros, essa é só a primeira parte de muitas indicações. Eu postei os links para quem tiver alguma dificuldade em encontrar os títulos em bibliotecas publicas, livrarias ou sebos, poder baixá-los. Eu realmente espero que apreciem, e que após a leitura, voltem ao blog para comentar o que acharam, afinal, eu ainda não consegui ler todos os livros que estão nessa lista! :d

O primo Basilio

A hora da estrela

Macunaima

A moreninha

O cortiço

Memorias Postumas de Braz Cubas

Amor de Perdição

Dom Casmurro

Senhora

O Crime do Padre Amaro

Na semana que vem, irei postar livros de gênero romântico em homenagem ao dia dos namorados. Não percam! s2

Boa leitura! 

Para ver a postagem da semana passada clique aqui.

Filmes de Drama - Parte 1

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Como prometido segue uma lista de cinco filmes de drama que sinceramente achei muito lindos e motivadores. Nem todos os filmes de drama acabam tristes, alguns nos deixam algumas lições, e eis alguns deles aqui!

O Presente - Filme muito bom, mistura comédia, um pouco de romance, drama e muito aprendizado!


A Procura da Felicidade - Acredito que muitos de vocês possam ja ter assistido a esse filme. Mas para aqueles que ainda não viram, vale a pena ver e rever! Filme comovente, é baseado numa historia real.


Confiar - Esse filme é muito bom, eu sinceramente recomendo principalmente para quem tem adolescentes na família ou seja adolescente. Em geral para quem tem filhos e acessa muito a internet!


Cyber Bullying - é um filme para assistir com toda a família. Na mesma linha de internet, tem como principal tema o bullying pela internet. Recomendo para todas as idades.


Trafico de Órgãos - Para fechar escolhi esse filme, porque ele envolve não somente drama, mas também tem um pouco de ação e mostra uma realidade que é escondida da sociedade.
Clique aqui para ver o filme.

Espero que apreciem e que de alguma forma essas historias possam te inspirar! Gostou da postagem? Então compartilhe com seus amigos, e não deixe de se inscrever no blog e nas redes sociais!

Para acessar a postagem da semana passada clique aqui.

Nossas Historias - A procura da Felicidade

terça-feira, 2 de julho de 2013

A historia a seguir conta um pouco da vida de uma grande amiga. Os comentarios que nela continham foram apagados devido uma falha no sistema. Espero que gostem dessa linda historia de vida, e sintam-se a vontade para enviar a sua!

Boa noite Mariana, primeiro agradeço por esse espaço para que pessoas como eu possam contar sua historia e dividir com outras pessoas momentos e dificuldades que talvez elas também estejam passando.
Tô escrevendo agora a noite, pois meus dias são muito corridos.

Bom, a minha historia começa aos 13 anos, qdo tive que virar adulta de repente. Minha mãe cometeu suicídio depois de um longo período de depressão. Ela ficou doente depois que meu pai nos abandonou, e piorou quando descobriu que meu irmão mais velho tava usando drogas. Nossa casa era pequena, e éramos em 4 pessoas. Minha mãe, meu irmão mais velho Roni e uma prima que minha mãe criava. Mas no dia do suicídio, eles não estavam em casa. Somente eu, que presenciei tudo e tive que socorrer minha querida mãe. Eu vi nos olhos delas o arrependimento, mas era tarde demais. Logo depois disso, fui para casa de uma tia. Meu irmão era ainda menor de idade, mas quis ficar cuidando da nossa casa. Nossa prima voltou a morar com os pais dela no interior.

No inicio foi muito difícil, todos na escola me olhavam, ficavam perguntando, querendo saber o aconteceu, essas coisas. E a cena da minha mãe morrendo ficava vindo na minha cabeça o tempo todo. Felizmente tive duas amigas muito boas, que me apoiavam sempre. E minha família de um jeito torto, também se importava comigo. Os meses foram passando, eu fui me conformando e aprendendo a viver sem minha mãe. Depois de completar 14 anos eu conheci um rapaz e começamos a namorar. Mas infelizmente meu irmão, ia de mal a pior. Continuava a usar drogas, e começou a se envolver com um pessoal barra pesada. No final daquele ano, perdi meu irmão para o crime. Me senti no chão, nem sei como suportei! Quer dizer, foi Deus, pois eu tinha muita fé Nele, foi através da minha fé que eu consegui passar por tudo aquilo e nunca odiar a minha mãe e os assassinos do Roni!

Com a morte do meu irmão, eu acabei vendendo a casa, não suportava nem passar em frente. Nessa altura eu tava perto de completar 15 anos. Ja tinha passado pela casa de duas tias, e já tinha sofrido um bocado. Acabei indo morar com outra tia que tinha acabado de ter bebê. Fui pra ajuda-la a cuidar. Ela e o marido trabalhavam muito, e não queriam colocar o bebê numa creche. Foi uma época boa, eles me tratavam super bem, me davam tudo que eu precisava. Meu namoro ia bem e eu já conseguia pensar no futuro me sentir bem. A família do meu namorado era como se fosse minha família também, eu os amava mto. Mas percebi que com o tempo não era a mesma coisa, começaram a mudar comigo, inclusive ele. E depois de uma grande decepção com ele, família e uma de minhas melhores amigas que era prima dele, eu acabei terminando o namoro. Isso me doeu muito, novamente me sentia muito só. E depois acabei descobrindo o quanto a prima, Beatriz, era falsa.

O ano seguinte na escola minha vida virou um inferno. Beatriz e suas amigas novas, me provocavam o tempo todo, Tanto que acabei tendo uma briga horrível com elas e acabei me mudando de escola. Eu tomei um ódio dela tao grande, que até hoje não falo com ela e nem quero ver mais na minha frente. Ela foi tao suja que até brigou com nossa amiga em comum, só porque ela não quis deixar de ser minha amiga. Camila por sinal, sempre esteve do meu lado, essa sim foi minha amiga. Sempre me aconselhava, e me ajudava como podia. Tentava abrir meus olhos pois minhas tias viviam me extorquindo, e o dinheiro da casa que vendi, foi todo gasto com contas, roupas e futilidades. Sendo que eu era menor de idade, e o certo era o dinheiro ter ficado numa poupança. Mas eu não via mal, achava que tinha que contribuir. Nessa época moravam, eu, minhas tias que estavam separadas do marido, minha avo e meus sobrinhos na mesma casa.

Minha avo, me maltratava tanto, nada que eu fazia era o suficiente. Sofri muito na mão dela. Até hoje não consigo esquecer das humilhações que passei nas mãos delas. Para vocês terem uma ideia, ela vivia maltratando a Camila, e uma vez até disse para uma namorado meu da época q eu tinha um caso com ela, acreditam? Quando ela teve derrame, foi eu quem cuidei dela, mas mesmo assim ela continuou ingrata e amarga. Nunca pude contar com minha avo, nunca!

Bom, depois do ensino médio, eu comecei a trabalhar numa fabrica e conheci um outro rapaz, o Sérgio. No inicio era somente uma amizade, mas com o tempo passamos a gostar um do outro. Começamos a ficar, namorar e depois acabei engravidando, então casamos. Minha filha Mel, hoje tem 5 anos, e é linda e saudável, meu orgulho e razão de viver! Mas devido aos encargos do tempo, eu e o Sérgio não estamos mais juntos. A relação esfriou, e mesmo tentando muito não conseguimos manter a relação.Agora meu objetivo, é conseguir voltar a estudar e achar um outro lugar pra morar, pois ainda estou na casa que morávamos qdo eramos casados, e isso é um pouco constrangedor.

Enfim, minha vida nunca foi fácil, e ainda não é fácil. Mas eu tenho muita fé, e tenho minha filha que me motiva a lutar. Ainda sinto muita saudades de minha mãe, e minha família continua maluca, tentando se aproveitar de mim. So que agora eu não deixo. rsrs...Continuo buscando ser feliz, tentando aprender todo dia e a ensinar a minha filha que a vida é muito preciosa pra ser desperdiçada, embora as vezes seja muito dura, que devemos ser fortes e lutar sempre por aquilo que desejamos, mesma que pareça muito dificil.
Espero de coração que minha historia tenha inspirado alguém e que se alguém tenha passado pelo mesmo ou esteja passando pelo mesmo, ela sirva como uma motivação!¨

Um abraço a todos e obrigada por terem lido.

Luana.

Já curtiu?

Popular Posts

Pensamentos


"Seja feliz com o que você já tem. O resto se consegue com o tempo!"

Mariana Lüdi

"A pedra que no papel nem serve para desenhar uma reta, dentro d'água faz círculos perfeitos!"

Heráclito

"Só ha duas maneiras de viver a vida; a primeira é vivê-la como se os milagres não existissem. A segunda é vivê-la como se tudo fosse um milagre."

Albert Einstein

"Pois nada que valha a pena provar pode ser provado, nem tampouco refutado; portanto, sê sábio. Adere sempre ao lado mais ensolarado da duvida!"

Lord Tenysson


Amigos Leitores

 
"O mundo de Mari" © 2012 | Designed by Bubble Shooter, in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions